Carioca, 21, estudante de direito

15 de mar de 2017


Diário de Intercâmbio: 3 Dias em Barcelona



Oii, gente! Já estou de volta ao Brasil e, como só escrevo bem sob pressão, vou bagunçar tudo e postar sobre meu mini intercâmbio fora da ordem cronológica em que as coisas aconteceram.

Este post está sendo especialmente feito para a Carol e a Vitória, que estão na Europa fazendo intercâmbio, e vão aproveitar pra dar uma fugidinha e ir para uma das cidades mais incríveis da Espanha: Barcelona!

Como eu fiz a mesma coisa em Janeiro, pois aproveitei um final de semana prolongado do meu curso na Alemanha, vou compartilhar meu roteiro neste post com vocês e dar várias dicas sobre Barça!

Roteiro de 3 dias em Barcelona


Barcelona é uma cidade incrível: tem muitas influências da arte moderna de Dali, Gaudí e Picasso e, ao mesmo tempo, tem aquela vibe praiana que só quem vive em cidades litorâneas, como o Rio, por exemplo, entende. Aliás, achei Barcelona muito parecida com o Rio quando estive por lá e ao longo do post conto um pouquinho mais sobre isso!

Hospedagem


Eu fiquei hospedada no Yeah Barcelona Hostel e o recomendo de olhos fechados! Além de super bem localizado, na Carrer Girona, pertinho de duas estações de metrô e do Passeig de Gracia (onde se encontram duas famosas obras de Gaudí), é super organizado, limpo e silencioso pra dormir. Mas, pra quem quiser farra, ele também  não fica atrás! O Staff leva os hóspedes para festas e bares badalados, com direito a shot, por un precinho camarada. O café da manhã, embora pago, vale a pena e tem bom custo-benefício. Aliás, as diárias também têm ótimo custo-benefício. Vale a pena clicar aqui e dar una pesquisada!

Quanto tempo fiquei?


Na verdade, eu fiquei 3 dias e 4 noites em Barcelona. Isso porque cheguei na noite anterior para aproveitar o primeiro dia inteiro e, de quebra, ainda pude assistir a um jogo do Barça no histórico estádio do Camp Nou! Recomendo muito a experiência, se houver jogo nos dias em que vocês estiverem por lá. Comprei o ingresso pelo site oficial do Barcelona FC. Mas, pra quem quiser ir ao Camp Nou visitar um dos maiores museus de futebol do mundo, ou preferir ir ao estádio sem ser em dia de jogo, a dica é participar do Camp Nou Experience, no qual você curte um tour pelo estádio e pelo museu.

Deu pra aproveitar bastante com 3 dias, mas fiquei com gostinho de quero mais e faltaram algumas atrações, então recomendo reservar pelo menos uns 5 dias pra poder curtir cada cantinho de Barcelona sem pressa. Mas, como eu só tinha mesmo o final de semana e o vôo mais barato era segunda de manhã, não pude prolongar a viagem.

Agora vamos ao roteiro propriamente dito!

1º Dia - Passeig de Gracia, Bairri Gótic e Tapas


Logo quando chego a uma cidade que não conheço, gosto de passear pelas ruas para me localizar melhor. Como meu hostel era bem pertinho do Passeig de Gracia, andei por essa rua rua quase inteira, passando pela Casa Batlló e pela Casa Milá, também conhecida como La Pedrera, duas das mais famosas obras de Gaudí.

Casa Milá

Casa Batló


Ambas as casas estão abertas para visitação, mas achei os preços meio salgados e, como não tinha tanto tempo, decidi não entrar. Mas, se você tiver tempo e dinheiro$, todo mundo recomenda as duas!

Além de caminhar por conta própria, descobri um novo vício nessa viagem: os Free Walking Tours. Se tratam de tours com guias turísticos (ou pessoas que conhecem bem o local), que explicam melhor sobre a história e cultura da cidade. No final no tour, você pode oferecer o quanto achar que ele mereceu.

O Tour que decidi fazer foi o que nos levava para conhecer o Bairro Gótico e contava a história da Espanha, dos Reis Católicos Isabel de Castilha e Fernando de Aragão e da Catalunha, região da qual Barcelona é a capital e que tem até sua própria língua. Recomendo muito esse tour, ainda mais se for com a minha guia, que nem era de Barcelona, mas sabia muito sobre a história e era super didática e divertida.

Como nos encontramos na Plaça Catalunya para iniciar o tour, já aproveitei pra dar uma volta por lá e conhecer uma das maiores e mais belas praças de Barcelona.

Plaça Catalunya

Plaza Catalunya


Caminhamos pelo Bairro Gótico e passamos por vários lugares interessantes, mas o que mais me chamou atenção foi a Catedral de Barcelona, que foi construída em estilo românico, mas teve sua fachada reformada para parecer mais "moderna" e se adaptar ao estilo neogótico, que estava na moda no século XIX. A primeira versão da Catedral foi construída entre os séculos XIII e XV.

Catedral de Barcelona. Não confundir com a Sagrada Família

Outra coisa MUITO legal sobre esse bairro é que é lá que acontecem os campeonatos de Casteller, ou Castelos Humanos, nos quais as pessoas literalmente sobem em cima de outras pra ver quem consegue montar uma torre mais alta e, bem no topo, põe uma criança com capacete pra comemorar que chegaram ao topo da torre ou castelo! :O

Casteller em pleno vapor. Se alguém já tiver ido ou for, me conta!! Origem da Foto: Extra.

Em 2010, os Castells (as torres) foram declarados Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO! As festividades acontecem durante o mês de Setembro na Catalunya inteira, mas a principal acontece na Plaça de Sant Jaume, em Barcelona. Quero muito voltar pra assistir isso ao vivo um dia! Pra quem ficou curioso, clique aqui pra ver um vídeo INCRÍVEL disso acontecendo em tempo real!

Depois de ficarmos maravilhados com a história incrível de Barcelona e com as torres humanas, chegou o momento de nos deliciarmos com a maravilhosa comida catalã! Assim que terminamos o tour, decidimos ir para o Mercado de La Boquería, um dos mais tradicionais e o mais famoso de Barça, onde você pode encontrar de tudo (de tudo mesmo! Achamos até coxinha e empada numa barraquinha brasileira!).

COXINHAAAA! Dessa coxinha a gente gosta <3

E ainda terminamos o passeio indo a um bar para experimentar as famosas Tapas, que recomendo muito também. Você paga geralmente 1 euro por comidinha (um croquete ou palitinho de queijos e jamón) e acaba matando a fome gastando pouco :D

Meu colega australiano, Lachlan, eu, as famosas tapas e um vinho branco maravilhoso! Recomendo os vinhos em Bcn! :D


2º Dia - Park Güell e Montjuïc


No segundo dia, acordamos e fomos direto pro Park Güell, feito por Gaudí à encomenda do empresário Eusebi Güell, originalmente pensado para ser um condomínio urbano, mas que, devido ao fracasso comercial do empreendimento, visto que ninguém quis morar lá (????? Gente, meu sonho morar nesse lugar!!), foi vendido para a prefeitura de Barcelona em 1922. Também é um Patrimônio da Humanidade, segundo a UNESCO, desde 1984.

Na baixa temporada (Inverno, entre Novembro e Fevereiro), não é preciso comprar ingressos no site, consegui comprar na hora com tranquilidade. Mas, nos outros meses é recomendável. Clique aqui para ver os preços.

Para chegar até o Park Guell, não recomendo ir de metrô, porque pode ser meio confuso caminhar da estação mais próxima até lá.
Pegue a linha 24 ou 92, que te deixam na entrada principal do parque.
Mas, caso seja melhor pra você ir de metrô, pegue a linha 3 (verde), sentido Trinitat Nova e desça na estação Vallarca. Siga a sinalização para chegar ao parque e, se possível, vá com o Google Maps aberto. Vimos muitos turistas perdidinhos tentando chegar no parque e, por sorte, conseguimos ajudar todos, mas nem sempre tem alguém pra ajudar nessas horas.

O Parque é lindo! Quando comprar seus ingressos, provavelmente terá que esperar a hora marcada para entrar na área fechada, então aproveite esse momento para passear pelo parque aberto, cheio de árvores e caminhos lindos, você vai se encantar!

Vista lá do alto <3



Eu fascinada por essa obra arquitetônica incrível

Meu companheiro nessa viagem mara por Barcelona, Lucas Tovar!


A famosa Salamandra, El Drac, e eu

Quando estávamos no Parque, ficamos apaixonados pela vista de algo que nos pareceu um castelo ou uma igreja e, pensando que era o Montjuic, fomos correndo pra lá. Quando lá chegamos, descobrimos que havíamos ido ao lugar errado. Na verdade, queríamos ir ao Monte Tibidabo, do lado oposto da cidade :(. Mas o passeio valeu a pena, pois o Montjuic também é lindo e tem uma linda vista. Recomendo irem aos dois, se tiverem tempo!


Montjuïc


O Montjuïc é o ponto mais alto da cidade e concentra várias atrações, como o Jardim Botânico de Barcelona, o Museu Nacional de Arte Catalunya e um castelo medieval. Também de lá da pra ver o show da Fonte Mágica (infelizmente quando fomos, a fonte estava em manutenção :/), que acontece sexta e sábado das 19h às 21h no outono e no inverno e de quinta à domingo das 21h às 23h30 na primavera e no verão.
Para chegar até lá, você pode descder na estação Paral-lel, das linhas 2 (lilás) e 3 (verde) do metrô e pegar o funicular de Montjuïc sem sair da estação, ou seja, com a mesma passagem. Quando chegar lá em cima, você pode pegar o telefèric de Montjuïc ou o ônibus 150. Se quiser economizar, pegue o ônibus, pois não irá pagar nada, caso tenha entrado no metrô há menos de 75 minutos. Ambos deixam você no Castell de Montjuïc.

Descemos andando pra curtir melhor a vista e recomendo que façam o mesmo, já que a descida é beem mais tranquila!

Chegue cedo se quiser visitar todas as atrações! A gente perdeu muita coisa, porque fomos sem nos planejar e já tava tudo fechado! Faça o que eu digo, não faça o que eu faço hahahah



Teleférico de Montjuic

Vista incrível do alto de Montjuic

Bandeira da Catalunya


No fim do dia, jantamos uma paella MARAVILHOSA no terraço do Shopping Arenas de Barcelona, que também proporciona uma vista linda da Fonte Mágica e do Montjuïc. E a melhor parte: o preço não foi tão salgado! Depois, ainda encontramos meus amigos do curso de alemão que também foram pra Barcelona e comemos OUTRA paella! Paella é vida, gente, comam MUITO quando estiverem na Espanha! E bebam sangria, é mara também!

Ótima noite com paellas maravilhosas!




3º Dia: A Sagrada Familia, Arc de Triomf e Parc de la Ciutadella



Nosso terceiro e último dia completo foi reservado para a Sagrada Família, de Gaudí, um Templo Expiatório, considerado a obra prima de Gaudí. Na verdade, a igreja ainda não está pronta e a previsão para a sua conclusão é em 2026, quando se completará o centenário da morte de Antoni Gaudí. 

Mesmo sendo o ingresso mais caro, recomendo que comprem o Top Views, pois o mesmo é o único que permite a entrada na igreja e a subida às torres com audioguía muito bem feito e interessante. Quando for escolher em qual torre subir, recomendo a Torre do Nascimento (Natvidad), pois é a que já está pronta e a que tem uma vista mais bonita pro parque em frente à Sagrada Família.  






Aproveitem a Sagrada Família, andem por dentro e por fora, observem o museu sobre como ela foi construída e quais são os objetivos para o futuro e a finalização da construção. Vale a pena e é muito enriquecedor.

Após saírmos da Sagrada Família, almoçamos e fomos passear pelo Parc de la Ciutadella, que foi construído para a Exposição Universal de 1888 e é um ótimo lugar pra passear e fazer um picnic. Logo à sua frente, podemos encontrar o famoso Arc de Triomf. Nãão, não é só Paris que tem um Arco do Triunfo! Barça também tem! 

Fonte Monumental

Arc de Triomf

Saindo pelo parque pelo lado oposto ao do Arco do Triunfo, fomos caminhando até chegarmos às Ramblas, uma das principais ruas da cidade, com muito comércio. Se as lojas ainda estiverem abertas, aproveitem para fazer umas comprinhas e levar um pedacinho de Barcelona na mala com você!

Infelizmente, devido ao tempo, não fomos à praia, mas passamos por lá e é linda! Tô louca pra voltar no verão e curtir a Barceloneta e, quem sabe, a famosa ilha de Ibiza! Se vocês forem no verão, recomendo levar bikini ou sunga!

No quarto dia, cedinho, me despedi dessa cidade linda, mas saí com gostinho de quero mais... Já estão nos meus planos passar por lá na próxima viagem à Espanha <3

Para me preparar pra essa viagem, visitei muuuito o Blog Passaporte Bcn, que é inteirinho sobre essa cidade maravilhosa! Recomendo muito que passem por lá pra se planejarem também!


Para ir da Alemanha até Barça, peguei um vôo da Easyjet, saindo do aeroporto de Basel, na Suíça, que era o mais próximo da cidade em que fiquei, Freiburg. Voltei de Vueling. Vou deixar o site da Vueling e de outras low costs pra vocês darem uma pesquisada também, se já estiverem na europa. 
Pra comparar todos os preços e formas de locomoção, recomendo MUITO o site e aplicativo Rome 2 Rio

É isso gente! Espero que tenham curtido o post e que ele possa ser útil pra vocês montarem seus roteiros por Barcelona! Recomendo MUITO essa cidade, quero voltar em breve no verão ou na primavera, mas mesmo no inverno o clima foi bem agradável e só peguei chuva um dia! E pra quem já foi, deixem dicas nos comentários pra galera ler! Beijos e até o próximo post ;*
0

19 de jan de 2017


Diário de Intercâmbio: Chegada na Alemanha e 1º Ano Novo fora do Brasil

Oii, gente! Depois de meses sem postar nada em parte por causa da correria do dia a dia, em parte por falta de criatividade mesmo, tô de volta pra contar um pouquinho sobre o intercambio que estou fazendo agora e sobre as viagens que surgirão daí!

Na verdade, estou fazendo um intercambinho, já que não vai durar taanto tempo quanto um intercâmbio geralmente dura. São só 6 semanas de curso (já perceberam que eu queria ficar mais, né? Mas em breve eu volto hahaha) de Alemão intensivo (aula todo dia :O) numa cidadezinha no sul da Alemanha, quase na Suíça e esbarrando na França, chamada Freiburg im Breisgau (é pra não confundir com a outra Fribourg, na Suíça, pra você ver a proximidade).

Já mandando os paranauês ("dica" em carioquês moderno): consegui esse curso através do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico, DAAD. Ele se chama Winterkurs (Curso de Inverno) e todos os anos seleciona vários graduandos, mestrandos e doutorandos para participar do curso e receber uma bolsa. Todas as informações sobre a bolsa, os critérios de escolha e requisitos vocês encontram aqui nesse link.

Dito isto, vamos para o primeiro capítulo do meu diário de intercâmbio! Eu tô muuuuuito animada em estar por aqui! Não é a primeira vez que venho pra Alemanha, nem a primeira vez que faço um curso de língua aqui, mas é com certeza a maior aventura de todas, pois pela primeira vez vou ficar por mais tempo (quase dois meses) e dessa vez não estou num hotel, e sim numa residência estudantil muito diferente do que estava acostumada (vou contar tudo sobre isso num próximo post!)


Diário de Intercâmbio - Capítulo 1: Ano Novo em Bremen



Euzinha partindo pra maior aventura da minha vida já com o casacão na mão!







A primeira coisa diferente que fiz nessa viagem já veio logo no comecinho! Como as passagens estavam mais baratas vindo ainda em Dezembro, cheguei na Alemanha no dia 30 e passei a virada do ano pela primeira vez fora do Brasil e sem meus pais (saudaaades <3) e foi MUITO incrível!!


Chegando em Bremen, o finalzinho do Mercado de Natal me recepcionou muito bem!

Ainda no clima do Natal, também amei ver um pinheiro de verdade todo enfeitado na sala da casa das minhas amigas alemãs! É muuito diferente do que a gente tá acostumado no Brasil, porque não é de plástico, mas sim é uma árvore no meio da sua casa! Adoraria fazer isso pelo menos uma vez (o chato é matar a árvore só pra isso todo ano, né? Nesse sentido, talvez usar uma árvore de plástico por anos seja mais ecologicamente correto... Mas lá é tradição mesmo!)

Pinheiro de Natal de verdade, na casa das minhas amigas alemãs <3 (da série: não tem nada disso no Brasil hahaha)


A virada de ano...


O Ano Novo na Alemanha é MUITO diferente do que estou acostumada no Rio de Janeiro. Pra começar, a festa foi super tranquila, mas isso porque minha amiga Clara, que mora em Bremen, me levou pro aniversário da sua melhor amiga e ficamos lá bebendo e comendo até a hora da virada.

Pra assistir os fogos, fomos para uma ponte que cruza o rio principal da cidade, o Weser (ou Vesúvio em português). Só que eu achava que quem iria soltar os fogos seriam os barcos, como em Copacabana, né... Que nada!! Quem solta é a gente mesmo! A galera sai correndo bêbada e louca nas ruas, monta um foguete no chão, acende com o isqueiro e solta em qualquer lugar! No começo morri de medo, mas depois me empolguei também e me diverti muuuito nessa noite :D
Eu muuito animada e os fogos ali atrás no chão, muito louco!!

Estrelinhas :D

Fizemos a festa em Bremen!!


Infelizmente, não tenho tantas fotos da virada nem dos fogos porque meu celular resolveu dar pau bem nesse momento e desligou do nada. Como eu tava sem carregador externo por perto, pedi pra minha amiga tirar essas fotos e foram as recordações que ficaram dessa noite maravilhosa!!

Amei passar o ano novo fora do Brasil e quero repetir outras vezes nas próximas viagens com certeza!

Deixo como dica e conselho, aliás, que vocês visitem Bremen, no norte da Alemanha, pertinho de Hamburgo, principalmente em dezembro, perto do Natal, quando a Alemanha inteira e os países da região se enfeitam e surgem os lindíssimos Mercados de Natal. Infelizmente cheguei tarde, mas já tô planejando voltar com certeza :D

Pra quem tá pensando em fazer intercâmbio e tá com medo de vir sozinho ou sozinha (e super entendo as meninas que têm esse medo, porque também tive), aconselho muuuito a vir! Estou aqui há dez dias e já estou muuuito mudada! Além disso, não passei (ainda) por nenhum perrengue ruim.

 Nos próximos posts vou contar pra vocês sobre essas mudanças e também vou mostrar o roteiro que minha amiga e eu fizemos em Berlim logo depois do ano novo!

Espero que tenham gostado desse post curtinho que anuncia o meu retorno ao blog, que espero que seja eterno <3


Grande beijo e Feliz 2017!!! Que esse ano seja maravilhoso pra todos nós!



0

23 de out de 2015


Como escolher a base certa pra mim? {Pele negra}




Oi, gentee!
Desculpa por demorar tanto pra voltar a postar aqui, mas é que eu tava toda enrolada com milhões de coisas, enfim... Mas não abandono nunca não! Vamos lá!
O post de hoje é sobre bases! Um assunto que divide opiniões porque é uma coisa muito pessoal, mais ainda do que perfume. Hoje em dia está mais fácil, mas antigamente era muito difícil encontrar bases legais para a pele negra, tinham poucas opções! 
Minha amiga Rebecca me perguntou qual base eu recomendava ela comprar numa viagem e eu fiquei pensando muito tempo até chegar à conclusão de que não posso recomendar nada, afinal a parte mais importante ao comprar uma base é:
TESTAR!!!
Não é pra testar na mão, nem no maxilar, tem que testar no rosto tooooodo! Principalmente, ou preferencialmente, nas áreas da testa, das maçãs do rosto e do pescoço. Não tirei isso do nada, tirei do Color IQ, um aparelho divino criado numa parceria entre a Sephora e a Pantone (aquela empresa que disse que a cor desse ano ia ser Marsala e a do ano que vem Quarzo Rosa) que desenvolveu uma biblioteca com 110 tons de pele humana possíveis. 
Essa maravilha que tira "fotos" sem luz externa da testa, pescoço e maçã do rosto de define qual é a sua cor ainda não tá disponível no Brasil, infelizmente :( eu testei lá em NY há quase dois anos e descobri que minha cor é a 2Y11. Eles mandam por email e tudo com as opções de bases e corretivos de marcas disponíveis na Sephora: 
Se você ainda não testou e tá complicado agora com essa crise ir no exterior pra testar, você pode entrar no site do Color IQ e clicar em "Don't have a Color IQ yet?" e botar uma base que você já usou,  e se deu bem com a cor, lá e descobrir qual é a sua cor de acordo com aquela base. 
Afinal, como decidir?
Depois de ter uma ideia da sua cor, você pode ir pesquisar loja por loja as bases que você gosta mais e ver se elas se dão bem não só com a sua cor, mas também com o seu tipo de pele. Bases com efeito matte ou muito secas não combinam com pele seca, por exemplo, mas são melhores para peles oleosas do que bases muito hidratantes ou iluminadas que chamam atenção para a oleosidade natural do rosto. 
Vou dar um norte pra quem tá começando: bases com toque seco, matte, opaco ou de alta cobertura e pesadas geralmente não deixam um efeito bonito na pele seca ou muito seca. Isso porque craquelam e acumulam. Elas funcionam melhor com peles mistas ou mais oleosas porque elas controlam essa oleosidade muito bem e não craquelam tanto (mas testa um dia inteiro essas bases pra ver como elas ficam em você!)
Já as bases hidratantes, com mais oleosidade, mais líquidas, ficam melhor em peles secas e não combinam com pele oleosa, mas, de novo, só testando que dá pra confirmar.
Eu gosto muito de bases levinhas, sem aquele efeito boneca, mas esse já é um critério completamente subjetivo. Vou falar sobre algumas bases que eu estou gostando muito no momento

Cor: 15 Golden
Comprei ano passado na Sephora porque me foi indicada pela vendedora e pelo Color IQ.
Ela tem cobertura média, é bem hidratante, na minha opinião.

O que a marca diz: Base resistente à água que ajuda a diminuir as pequenas linhas de expressão. Sua fórmula absorve o excesso de oleosidade da pele. Hidrata e protege a pele contra os danos causados pelo meio ambiente. Proporciona uma cobertura moderada e confortável, conseguindo um resultado natural.
 
Recomendo ela para peles muito secas, secas e mistas. Mas para oleosas, nem tanto. Não sei se foi a minha experiência, mas não achei que ela absorveu tanto o excesso de oleosidade, mas sim que enfatizou isso em alguns pontos. A durabilidade é boa, e a cobertura é média. Também não recomendo pro calor, porque como o acabamento é hidratante, pode te dar aquela sensação de pele derretendo.
Uma base mais sequinha, mas sem efeito matte. Recomendo pra peles pouco secas, mistas e oleosas. Não recomendo para peles muito secas porque ela corre o risco de craquelas, por secar muito rápido e não ter aquele efeito hidratante da Superbalanced.
O que a marca diz: Com a fórmula oil-free e desenvolvida por dermatologistas Even Better Makeup SPF 15 algo incrível acontece: uma pele mais luminosa e uniforme é criada. Áreas escurecidas, sinais de acnes passadas e de envelhecimento ficam visivelmente reduzidas. Para todos os tons e tipos de pele. Veja os primeiros resultados em apenas 4 a 6 semanas. Para benefícios contínuos-mesmo após a remoção-combine com Even Better Skin Clinical Dark Spot Corrector.
Em mim funciona muito bem como contorno, porque a cor ficou escura pra mim. Como só uso nas áreas de contorno (testa, nariz, maxilar e abaixo das maçãs do rosto) não sei dizer se ela craquela muito, mas a durabilidade nessas áreas é muito boa. 
Ela tem FPS 15, que é ótimo, mas não dispensa o uso de protetor solar antes. 
Essa base é uma queridinha, adoro o efeito que ela deixa na minha pele! Ela tem FPS15 e uma tecnologia diferente.
O que a marca diz: A Base Líquida FPS 15 deixa sua pele uniforme e com a sensação de estar sem maquiagem. Uma fórmula inovadora e de alta tecnologia, com difusores ópticos e pigmentos tratados, que proporciona acabamento aveludado e uma aparência natural. Sua proteção contra raios UVA e UVB e o exclusivo ativo Elastinol+R melhoram a firmeza e a elasticidade da pele. Livre de óleo. Ideal para todos os tipos de pele.
Ela deixa um acabamento sequinho, mas sem craquelar e, embora transfira um pouco (não bota nenhuma roupa branca antes dela secar totalmente!), depois de um tempo ela seca e o pó ajuda nesse processo.
Adoro usá-la diariamente e recomendo para peles secas, mistas e oleosas também porque ela consegue abranger tudo isso sem pesar. A cobertura é média, até porque se fosse alta, não estaria dentro dessa proposta de se sentir como se não estivesse usando nada.

O melhor ficou pro final! Minha base favorita do momento, que já teve resenha aqui no blog é a Matchmaster, da MAC. Ela é incrível, gente, sério, não craquela, cobre tudo o que você imaginar e a cor se adapta ao seu tom de pele de um jeito super natural. 
O que a marca diz: Uma base praticamente "invisível" com cobertura influenciada pelo seu tom de pele. Uma fórmula avançada patenteada com um espectro de 14 tons variando de claro até escuro. Descubra a inteligência dos tons!
Essa fórmula super inteligente faz com que a cor da base mude para se adaptar melhor à sua pele e fazer com que fique o mais natural possível, sem deixar de cobrir as imperfeições de forma uniforme. 
Uso ela de dia e para a noite, se eu quiser, posso construir mais camadas e aumentar a cobertura até chegar próximo de alta. Mas eu não curto esse efeito, gosto da média cobertura com acabamento mate e recomendo para todo mundo, menos pro pessoal com pele extremamente seca. 
Ufaaa, é isso gente! Essas são as bases que andei testando, sempre que achar uma novidade legal, volto pra contar. Ainda quero testar bases mais baratinhas e boas, porque embora eu saiba que maquiagem é investimento e merece meu dinheirinho suado, sei também que tem outras opções nacionais mais acessíveis. Me contem nos comentários! 
Espero que vocês tenham gostado, um beijo e até o próximo post :**

 
0
 

No Instagram