Carioca, 21, estudante de direito

26 de abr de 2017


Look do dia: Tarde no Parque Lage





Sabe aquele domingo preguiçoooso que não dá vontade nem de sair da cama? Então, foi num desses domingos que uma amiga minha me convenceu a me arrumar e ir passear no Parque Lage, um dos parques mais lindos do Rio de Janeiro. Amei o look que usei nesse dia e decidi compartilhar com vocês e também contar um pouquinho sobre essa opção de passeio bem interessante pra quem curte natureza.


O Parque Lage muitas vezes é ignorado pelos turistas, que passam correndo, doidos pra visitar seu irmão maior e mais famoso, o Jardim Botânico. Mas perde muito quem não dedica pelo menos algumas horinhas pra passear pelas árvores e até mesmo fazer um piquenique no Parque, que também conta com uma Escola de Artes Visuais em um lindo palacete. 

Recomendo a visita num dia ensolarado para se ter uma das vistas mais lindas do Cristo Redentor a partir da piscina que fica bem no centro do palacete. Infelizmente, quando fomos as nuvens estavam brincando de esconder o Cristo e deu pra ver pouca coisa hahahah

O Cristo atrás das nuvens

Escolhi esse look justamente pensando em todo o clima bucólico e de natureza que o Parque Lage tem. O tom quente do laranja, combinado com as flores em amarelo vivo e azul trazem a natureza para o vestido de um jeitinho super harmonioso que só a Cantão sabe fazer (sou suspeita pra falar, porque é minha boutique favorita, mas é lindo, né, gente?)



Combinei o vestidinho soltinho - mas com uma manguinha, afinal acabou o verão no Rio e nós cariocas somos muutio friorentos - com uma sandália que é meu xodó há tempos (já estou na segunda da mesma marca super parecida).


Já pro caso de fazer aquele friozinho no fim da tarde, levei uma camisa jeans, que de quebra, deixa o look bem mais despojado, no caso de emendar o passeio com um barzinho com as amigas (quem sempre? hahahah)




Aliás, vocês repararam que tirei as tranças, né? :OOO Vou fazer um post só falando sobre minha transição capilar e contando tudo sobre meu "novo" cabelo em breve!


Óculos de sol e casaco: Típico look carioca de todos os dias. Aliás, não esquece o guarda chuva!
Pra chegar nesse pedacinho de paraíso, pode-se utilizar uma das linhas de ônibus que passam pela Rua Jardim Botânico ou ainda, pegar o metrô da linha 1 ou 2, descer na Estação Botafogo e pegar o Metrô na Superfície sentido Gávea e descer na Estação Hospital da Lagoa. 

Embora as trilhas que levam ao Corcovado diretamente do Parque Lage sejam tentadoras, ultimamente não recomendo, devido à vários relatos de assaltos e outros crimes ocorridos nas mesmas. Para ir para o Cristo Redentor, as melhores opções ainda são pegar o trenzinho no Cosme Velho ou as vans que vão diretamente para o Corcovado, saindo do Largo do Machado. Vou fazer um post sobre esse ponto turístico que representa o Rio em breve também e explico tudo em detalhes :D


Os créditos das lindas fotos são da minha amiga, que aliás motivou o passeio e consequentemente esse post, Amanda  (e da mamis também, minha fotógrafa há 21 anos hahaha)








Aah, e esse vestidinho lindo ainda tem dois detalhes mara! Olhando por trás, ele parece ser uma blusa e uma saia da mesma estampa, mas é vestido mesmo! Além disso, pra quem é fã de bolsos em vestidos, ele tem dois!

Detalhe do bolso lateral super útil pra botar o celular e um batonzinho


Charme no detalhe das costas, que fazem parecer que se trata de uma saia e uma blusa da mesma estampa.

Vestido: Cantão | Sandália: Reisinger | Camisa Jeans: Forever 21 | Brincos: Panna | Pulseira: Pandora Óculos: NYS


Parque Lage
R. Jardim Botânico, 414 - Jardim Botânico
Horário: de 8h às 17h
Entrada Gratuita :D


E aí, curtiram o look e a dica de passeio? Me contem nos comentários e também deixem outras dicas de passeios na Cidade Maravilhosa <3 

Beijos e até o próximo post! :*


0

6 de abr de 2017


Tranças Afro ou Box Braids: Tudo o que você sempre quis saber!

Trançada nazoropa <3



Oii, lindonas e lindões! Hoje não vim falar de viagem, mas sim de cabelo! Como quem me conhece sabe, no ano passado decidi experimentar as famosas box braids, ou em português, trancinhas mesmo hahaha 
Sempre amei trançar o cabelo, pois me sinto mais empoderada como mulher negra quando uso penteados de origem africana e negra que se adaptam facilmente ao meu cabelo crespo. 

No entanto, essas tranças são um pouco diferentes das que fazemos em casa. As box braids usam cabelo humano ou sintético combinado com o seu para criarem o look que você quiser. Desde um chanelzinho até um cabelão digno de rapunzel, a escolha é totalmente sua!

Mas, antes de decidir botar as tranças, tive várias dúvidas, e hoje, em homenagem à Ana Rosa, que está decidindo agora entrar no universo das trançadas, vou tirar compartilhar as minhas dúvidas com vocês, vai que são as mesas e isso ajuda vocês a decidirem trançar? Vamos lá, então!

Do que são feitas as tranças?

Existem três tipos principais de material para as box braids: Jumbo, Kanekalon e Cabelo Humano. O jumbo é mais leve, portanto permite penteados mais elaborados, como coques e tranças (isso mesmo, trançar as tranças de novo hahaha) e permite que as pontas fiquem soltas, além de ter uma aparência mais natural de cabelo mesmo. 
O Kanekalon, por sua vez, tem uma aparência mais sintética, parecida com plástico e brilha mais. Por ser mais grosso, também é mais pesado e impossibilita penteados como coques e não permite que as pontas fiquem soltas. Mas, a vantagem é ter aquele brilho eterno de cabelo saudável e bem cuidado por 3 meses.
Já o cabelo natural eu nunca utilizei e é, de fato, menos escolhido, pois dura menos tempo que os sintéticos. Então, provavelmente você vai escolher entre o Jumbo e o Kanekalon. Como estou com ambos agora, vou mostrar uma foto pra vocês verem a diferença entre eles depois de 3 meses de uso.



Dá pra perceber que o Kanekalon brilha mais e continua com um aspecto mais de plástico, mas que o Jumbo fica mais fininho e com aspecto mais natural (afinal, cabelo nenhum brilha assim tão perfeitinho). Aí cabe a você decidir o que prefere ;)

Quanto tempo posso ficar com as tranças?

Você pode ficar até 3 meses com as tranças. Após este período, é importante fazer a manutenção (destrançar, hidratar o cabelo e trançar de novo) ou dar um intervalo para deixar o cabelo respirar. Eu prefiro a segunda opção, pois acho que é mais benéfico pro cabelo.
Eu já estou usando pela segunda vez. Dei um intervalo de 1 mês, mas dessa vez pretendo ampliar esse intervalo. 

Da primeira vez, usei só Kanekalon
Dessa vez, uso Kanekalon nas tranças de tom cobre e Jumbo nas castanhas.



Quanto tempo demora pra fazer?

Isso depende do tamanho pelo qual você optar. Caso queira fazer mais curta, tipo chanel ou no ombro, pode demorar até 6h. Já as tranças compridas, na cintura ou no bumbum, podem demorar de 8h a 10h. Eu sempre separo um dia inteiro pra ficar no salão, já que aproveito pra cortar e hidratar os fios naturais antes de trançá-los. Com assistência, a cabeleireira leva geralmente 8h. Mas vale a pena, né, gente?!

Mas como é que se põe a trança? Pra onde vai o cabelo?

O cabelo é trançado junto com a fibra sintética desde a raiz (podendo-se prender os dois na raiz com elástico, para evitar deslizamentos) e fica guardado dentro da fibra sintética. Conforme a cabeleireira vai trançando, seu cabelo termina e prossegue-se só com a fibra sintética até a altura desejada, podendo-se prender a ponta com elástico ou deixá-la solta, no caso do Jumbo. Ao longo dos meses, a raiz do cabelo cresce e ele também vai "saindo" de dentro da trança, o que é um sinal de que a manutenção se aproxima. 

Como lavo o cabelo trançado?

É muuuuito importante higienizar o cabelo trançado para evitar caspas e outros inconvenientes. Você deve lavar uma vez por semana somente com shampoo (o condicionador dá caspa e ajuda a desmanchar as tranças) aplicando-o na raiz entre as trancinhas, diluído em água. Se você quiser muito usar óleo, cuidado pra não deixar nenhum resíduo que faça mal pro seu cabelo natural. Passe o óleo somente no comprimento das tranças e tire tudo na lavagem.

Como secar o cabelo depois de lavar?

A melhor maneira é deixar os fios secarem naturalmente. Eu sempre lavo no final de semana de manhã cedo e deixo secar no sol, depois de tirar o excesso com a toalha (não esfregue a toalha, só aperte gentilmente para que ela absorva a água). Mas, se não tiver jeito, use um secador. Quando eu estava na Alemanha, usava secador pra não sair no frio de cabelo molhado. 

Posso ir à praia ou à piscina trançada?

Então... Poder, pode! Mas isso pode diminuir o tempo de duração das tranças. Isso porque o sal e o cloro danificam seu cabelo e, como ele está trançado junto às fibras, fica mais difícil de retirar completamente os resíduos. Eu ainda não experimentei ir à praia ou à piscina trançada, justamente por temer que destruísse as trancinhas ou o meu próprio cabelo, mas muitas meninas vão e não vêem problema algum. Só lembre de lavar beeem o cabelo depois.

É verdade que a trança ajuda o cabelo a crescer?

SIIIIIM! Amo muito isso nas box braids! Por elas protegerem o cabelo do ambiente externo e deixarem ele mais hidratado, além de "puxarem" os fios, elas fazem com que o cabelo cresça mais rapidamente do que o normal. 

Pesa muito?

Até você se acostumar com um cabelo diferente na sua cabeça, pode ser que pese um pouco sim, mas a sensação passa depois de alguns dias ou semanas.

Dói?

Ui, essa parte é delicada! Cada um tem uma experiência pessoal e depende muito da sensibilidade do seu couro cabeludo. Como eu sou uma pessoa bem sensível, o primeiro dia sempre dói bastante. Na hora em que a moça está trançando é tranquilo, mas pra dormir a primeira noite é bem chatinho. O que me ajuda: Botar um travesseiro alto pra cabeça não fazer pressão demais nas tranças e aumentar a dor. Mas, como toda dor tem fim, essa também passa em alguns dias ou semanas. 

Como conservar melhor as tranças?

Falando em dormir, pra conservar bem as tranças, é recomendável que se durma com uma touca de seda pra proteger as tranças e evitar o frizz e que elas desmanchem. Como eu nem sei onde vende touca de seda, fiz o que minha cabeleireira recomendou: peguei uma meia calça, amarrei as pernas e pus na cabeça pela parte do quadril. Funcionou super bem e protege bastante! Hoje em dia, admito que só prendo o cabelo e durmo sem meia porque já tô perto da manutenção e tá um calor infernal no Rio hahahaha

As box braids são práticas?

Aaaah, elas SÓ são práticas! Imagina acordar meia hora mais tarde porque não tem que pentear o cabelo!!!!! Imagina já acordar linda, poderosa e tombadora pronta pra derrubar os forninhos todos? Imaginou? As tranças são exatamente isso! 24h/7 dias da semana lindas e arrumadas. São super práticas!

As box braids estragam o cabelo? :O

Então, isso depende de você! Sem os cuidados necessários e ultrapassando o tempo de manutenção, seus fios e seu couro cabeludo podem sim sofrer com as tranças, pois vão ficando cada vez mais oleosos e fracos, sem respirar e sem absorver nutrientes importantes, o que pode gerar fungos, mofo e até alopécia (calvície). Porém, se você cuidar direitinho e fizer a manutenção na hora certa, seu cabelo vai crescer saudável, hidratado e protegido, ficando ainda mais bonito do que antes!
Penteado para casamento com Jumbo e Kanekalon.






Penteado com Kanekalon

 Elas ajudam na transição?

Sim, e muito! Protegendo o cabelo das agressões externas, deixando-o mais hidratado e ajudando-o a crescer, as box braids são uma das nossas maiores aliadas na hora da transição. Pra quem não quer fazer o big chop ainda (como era o meu caso) ou pra quem quer mudar um pouco o visual enquanto o cabelo não está como gostaria e não quer voltar a usar chapinha e babyliss, ou está sem paciência para dedoliss, bigudinho e outras formas de mistura de texturas, as tranças são ideais! Então recomendo muito pra quem tá em transição!!


Onde fazer?

Várias pessoas trançam! Procure online e em grupos no facebook pra ver qual cabe melhor no seu orçamento. Recomento muito o Salão de Belezas Negras Iporinchê, que é onde faço as minhas. Deixo abaixo os links do site e facebook para entrarem em contato.

Pergunta bônus: Sou branca e quero fazer as tranças. Isso é apropriação cultural?

Essa pergunta é muito importante e, se você tem consciência de que as tranças são não só um penteado, mas também uma forma de empoderamento da mulher negra, de forma que ela se ame mais sem recorrer a processos de alisamento dos cabelos, já é meio caminho andado. 

Sabendo o que é apropriação cultural, e entendendo que os dreads (hoje conhecidos como box braids justamente porque foram retirados de seu lugar de origem e apropriados como mercadoria a ser consumida) são característico de uma cultura negra africana e indiana, assim como os turbantes, acho que vale a pergunta: por que quero usar tranças? Porque está na moda ou porque me identifico de fato com o povo e a história negros/africanos? Esse questionamento é importante, pois não se decide ser negro pois está na moda ou não. 

Se nasce negro e se continua sendo negro nas horas ruins, nas quais o racismo é praticado contra nós. Como por exemplo, quando uma branca usa tranças ou turbante, é classificada como bonita, mas, quando uma negra o faz, é classificada como feia ou suja, em muitos casos. 

Essa postura deve ser discutida e o racismo deve ser desencorajado. Portanto, considero que brancos usarem tranças ou turbantes sem compartilharem de identidade religiosa ou racial de fato, apropriação cultural, mas não digo que não devem usar, afinal, não podemos mandar em ninguém. Mas sim, que devem procurar se informar, ler textos sobre o tema e responderem honestamente se estão usando esses símbolos porque os acham bonitos e significativos para a história do povo negro e para a sua própria história ou se o fazem somente para seguir a moda e, mesmo sem querer, excluem o povo negro de usar seus próprios símbolos. 

É isso, gente! Espero que tenham gostado desse post e que ele tenha ajudado a tirar suas dúvidas sobre as trancinhas. Se ainda tiverem dúvidas, deixem nos comentários e ficarei feliz em respondê-las! Beijos e até o próximo post :*
0

2 de abr de 2017


Diário de Intercâmbio: 4 dias em Roma sozinha (e meio dia em Milano)







Oii, pessoal!

Continuando com meu diário de intercâmbio, hoje vou contar sobre minha viagem à Itália e dividir meu roteiro de Roma com vocês! Esse post também é muuito especial, pois meus pais estão agora em Roma em Lua de Mel e vou aproveitar pra dar umas dicas pra eles (mesmo atrasadinha rsrsrs desculpa, mamis!)

Então, como amo escrever e contar mil detalhes, não poderia deixar de contar sobre como cheguei à Roma, porque foi uma loucura! Assim que meu curso em Freiburg, na Alemanha, terminou, eu peguei um ônibus da Flixbus agendado para 6:35 da manhã (o ônibus atrasou uma meia hora, só peguei às 7h. E fica uma dica: sempre tenha um chip europeu para receber os sms que a Flixbus manda informando sobre atrasos e cancelamentos) e cruzei a Suíça inteiriiiiinha até chegar a Milano (Milão em italiano, deixa eu tirar uma onda, vai! hahahaha). Olha a fotinha aqui embaixo dos alpes suíços, que lindos:


Uma dica se você, por acaso, pegar um ônibus ou trem da Suíça/Alemanha pra Itália: SENTA DO LADO DIREITO!!!!! Eu sentei do lado esquerdo e tive que ficar em pé me segurando pra tirar fotos legais, a galera da direita ficou sentadinha plena lá tirando fotos confortavelmente, então fica a dica!

Chegando a Milão, só tive algumas horas pra conhecer essa cidade maravilhosa e super chic antes do meu trem pra Roma sair à noite. Então, pra quem tem pouco tempo por lá, recomendo agendar com antecedência e comprar pela internet a entrada no Duomo di Milano e no Cenacolo Vinciano (esse você tem que comprar com meses de antecedência porque esgota MUITO rápido e só aceita 15 pessoas por horário. Eu comprei o meu com a Get Your Guide, mas eles vacilaram um pouco, pois se atrasaram e tive que ir à bilheteria retirar o ticket e ainda perdi 5 minutos da visita, então indico eles parcialmente. Aqui o link, caso você queira comprar lá também, ou veja esse post sobre como comprar pelo telefone.), onde se encontra a Última Ceia de da Vinci. Consegui ir aos dois e ainda dar um passeio pela Galeria Vittorio Emanuele II.

Duomo di Milano


Majestoso Duomo di Milano todo de mármore :O


Galeria Vittorio Emanuele II

Galeria Vittorio Emanuelle II, cheia de lojas chics 

A Última Ceia de Da Vinci

A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci, que fica no Cenacolo Vinciano.

Depois de curtir minhas poucas horinhas em Milão (e de me sentir SUPER mal vestida, porque o povo é todo fashionista lá hahaha), peguei meu trem Frecciarosa (comprei aqui) pra Roma. Agora vou começar o roteiro dos meus dias por lá!


Onde me hospedei?


Fiquei num hostel super bem localizado em Trastevere (o bairro mais boêmio de Roma) só pra mulheres chamado Orsa Maggiore! Reservei pelo Booking e achei o custo benefício muito bom. Era um ambiente bem caseiro, me sentia quase em casa - só não curti muito o banheiro em estilo vestiário de educação física, mas felizmente ele nunca estava cheio de gente, nem o café da manhã, que é pago e não vale muito à pena.

Roteiro de 3 dias em Roma

1º Dia - Roma Antiga: Monumento Vittorio Emanuele II, Coliseum, Palatino, Foro Romano e um restaurante incrível!


Comecei o dia caminhando de Trastevere até a Piazza Venezia, perto da qual está o Monumento a Vittorio Emanuele II, pai da pátria italiana.

Monumento a Vittorio Emanuele II

Monumento a Vittorio Emanuele II

É de graça pra entrar no monumento, mas pra subir até o topo e ter uma vista linda da cidade, é preciso pagar 8€. Não subi porque não achei que valia à pena.

Depois, fui andando até o Coliseum, mas no caminho aproveitei pra comprar meu Roma Pass, que é um passe que te dá direito a furar fila e entrar "de graça" nos dois primeiros museus e depois ter descontos nos próximos. O Passe de 48h custa 28€ e o de 72h, 38,50€. Eu comprei o de 72h e tive um desconto por ser estudante (mas eles não falam isso, então pergunta sempre se tem desconto antes de pagar).

Usei o Roma Pass pra furar a fila do Coliseum que é gigante e, de bônus, o mesmo ticket vale para o Foro Romano, que visitei logo em seguida.


Coliseum


Só a GoPro pra enfiar o Coliseu inteirinho numa selfie <3

Parte interna do Coliseu e eu com meu audioguide sempre hahah

O Coliseu é INCRÍVEL! Mas grande parte dele são ruínas que, sem a devida atenção e informação, podem parecer nada demais, mas cada pedacinho dali tem uma história, então recomendo que vocês invistam num audioguia ou até mesmo num tour guiado. Me arrependi de não ter acompanhado o tour no Coliseu e no Foro Romano, pois eles dão muitas infos extras que a gente não tem nem como imaginar. Da próxima, vou seguir minha própria dica!


Foro Romano e Palatino 

Vista do Foro Romano

 Museu Palatino

Peça no Museu Palatino



O Foro Romano e o Palatino são interligados, mas a entrada pelo Palatino é bem mais vazia e rápida do que pelo Foro Romano, então recomendo entrar por lá (próximo ao Circo Massimo). Também recomendo audioguia ou tour guiado pra entender os significados das ruínas. O Museu do Palatino está incluso na entrada e, embora tenha um pequeno acervo, é muito interessante e vale a pena.

Depois de sair de lá, me dirigi ao Circo Massimo, onde se estima que tenham morrido mais cristãos que no próprio Coliseum, mas hoje é só um descampado, e fui conferir o por do sol mais lindo de Roma bem do alto!

O que sobrou do Circo Massimo e eu plena

Seguindo as dicas do roteiro do Ideias na Mala, no qual, aliás, baseei toda a minha estadia em Roma e vocês encontram nesse link aqui, subi o morro do Aventino até o Parco Sevello, na Via di Santa Sabina. A vista é incrível:





Logo em seguida, caminhei mais pra cima pra entrar numa fila gigaaaaaante e conferir o famoso Buraco de Roma. Pena que ao longo da fila, o sol se pôs, mas mesmo assim a vista ainda valeu a pena!

O Buraco de Roma


Aqui uma foto melhorzinha do Buraco, com vista pro Vaticano. Créditos nesse link.




Pra quem tiver mais um tempinho, vale a pena seguir a dica do Ideias na Mala e conhecer a Boca da Verdade, que dizem que morde a mão dos mentirosos, na Igreja de Santa Maria de Cosmedin. Como eu não tive tempo e estava morrendo de fome já, fui pra Trastevere e decidi jantar no Restaurante Ivo a Trastevere, na Via di S. Francesco a Ripa, 158 e recomendo demais!!! Comi uma pizza de Mozzarela di Buffala, um Apperol Spritz e, de sobremesa, um Tiramisú e não gastei um absurdo! Ainda encontrei duas famílias brasileiras super agradáveis e conheci o garçom Massimo, o melhor garçom da Itália <3













De lá voltei pro hostel e dormi o sono dos viajantes que andaram o dia inteiro e estão cansadíssimos, porém muito satisfeitos :D

2º Dia - Piazzas e Fontanas de Roma 


Esse dia foi quase que totalmente copiado do Ideias na Mala hahah
Comecei pela Basílica de Santa Maria Maggiore, que fica pertinho da Termini (Estação Central de Trens), uma das igrejas mais lindas de Roma (e olha que isso é um baita elogio, considerando que Roma tem mais de 900 igrejas :O). A entrada é grátis, mas recomendo que paguem 5€ pra fazerem o tour pelos aposentos papais e descobrirem mais sobre a história da igreja. Só pra dar uma palhinha, mas sem spoiler: o teto dela é feito de ouro maciço trazido diretamente das Américas por Colombo, que deu para os Reis Católicos Isabel de Castilla e Fernando de Aragón, que presentearam o Papa. 


Basílica di Santa Maria Maggiore


Teto de ouro maciço das Américas. Quase peguei um pedacinho pra me ressarcir... hahahah


Papa Sisto III

Detalhes incríveis da renda em mármore


Depois, fui caminhando em direção à Piazza Spagna, com direito a topar com as Quattro Fontane no meio do caminho. Só em Roma isso acontece :D


Você vai passar pelo majestoso palácio Barberini. Se estiver com tempo, lá está localizada a Galeria Nacional de Arte Antiga.


Quattro Fontane, no cruzamento da Via delle Quattro Fontane com a Via Venti Settembre





Continuando o passeio, depois de esbarrar com quatro fontes magníficas, chegamos à Piazza de Spagna, em sua parte superior. Podemos ver neste ponto a Trinità dei Monti e a escadaria de mesmo nome,

 Piazza di Spagna

Vista da Pizza di Spagna, do alto da Trinità dei Monti

A Fontana della Barcaccia, na Piazza di Spagna


Vista da Trinità dei Monti, a partir da Piazza di Spagna


A próxima parada deste dia era um dos dois lugares que eu mais queria ver em Roma: A Fontana di Trevi! E ela surge DO NADA, se andarmos para a esquerda da Piazza di Spagna (de costas para a escadaria) e formos perguntando. Todos sabem para onde fica a mais famosa fonte da cidade.

Fontana di Trevi


Deus abençoe o criador da GoPro, que me permitiu tirar selfies ótimas durante a viagem sozinha!

Tentando parar de olhar pra essa maravilhosidade (spoiler: fiquei lá umas 2h)

Gente, é incrível lá! Eu fiquei horas admirando a fonte, fui almoçar por perto (não recomendo, aliás. Tudo caro e qualidade duvidosa que só turista esfomeado e sem tempo aceita), voltei pra tomar um sorvete admirando a fonte, em outro dia, voltei à noite pra curtir a iluminação especial <3


Logo depois, caminhei até o Pantheon (me perdi mil vezes, mas achei hahaha Usem o Google Maps ou perguntem pras pessoas nas ruas. As plaquinhas podem ser meio confusas e sumir do nada, às vezes).


O Pantheon - 2000 anos com carinha de 1000


Depois desse post, juro que faço um só sobre como a GoPro é a maior utilidade pra viagens a lugares em que se tem monumentos GIGANTES que não caberiam nunca numa lente normal de celular/ câmera amadora.

Teto do Pantheon

Recomendo que tomem um sorvete na Giolitti quando forem ao Pantheon. Fica na Via degli Uffici del Vicario, 40, bem pertinho dali e é uma delícia! Peçam sorvete com crema (chantily) por cima!

De lá, caminhei até a Piazza Navona, sem me perder, dessa vez hahaha

Piazza Navona




Ambasciata del Brasile a Roma

Embaixada do Brasil em Roma 





É lá que fica a Embaixada do Brasil! Pena que não sabia disso antes e não consegui agendar um dia para visitar. Mas deixo aqui o link do site oficial para agendar uma visita por lá. Há coleções de arte lindas em seu interior que valem a pena!

Como ainda tinha um tempinho, fui conhecer o Campo dei Fiori, que é uma praça que tem uma feira super legal com comidinhas típicas italianas.

Campo dei Fiori 



E depois, atravessei o Rio Tevere (em português, Tibre) de volta pra Trastevere (que em português significa o outro lado do Tevere), para jantar. Olha só a vista que eu tinha todos os dias ao atravessar o Rio e voltar pra casa:

Um sonho, né? <3


Tour Gastronômico em Trastevere


Visitei a Basílica de Santa Maria in Trastevere, que fica na Piazza di Santa Maria in Trastevere. Ali mesmo já há vários restaurantes para jantar super bem, mas neste dia, decidi seguir a dica outro blog, o Viaje Comigo, que tem um post mara sobre um Tour em Trastevere só pra comer as delícias que tem por lá! Como não tinha tantos eurinhos pra pagar o tour do Eating Italy, fui seguindo as recomendações e foi ótimo!

Primeiro, comi o famoso Supplì, um bolinho de arroz frito e temperado com um molho muuuuito gostoso e queijo derretido por dentro, na I Supplì (Via di S. Francesco a Ripa, 137).


O Famoso Supplì: o petisco oficial dos romanos
Depois fui conferir a Antica Caciara, bem ali do lado, na mesma rua. É uma loja de queijos, vinhos e frios que existe desde 1900 e é uma grande tradição de Roma. Comprei queijos, pães e prosciutto para o café da manhã e fui feliz pelo resto dos meus dias em Roma. Aai.. que saudades!


Balcão da Antica Caciara. Créditos: Viaje Comigo

 Também comi o famoso Apperitivo Romano, que consiste em pagar por um drink e receber várias comidinhas gratuitas junto com ele. Amei! Comi no Cajo & Gajo (Piazza San Callisto, 10), mas tem vários na região pra você escolher.



Depois, não satisfeita de ter comido tudo isso, ainda fui jantar! Esse dia foi maravilhoso hahaha
Tentei ir na Enoteca Ferrara, que o Viaje Comigo recomendou, mas achei muito cara e não gostei muito dos pratos oferecidos no cardápio (#chatapracomer) então decidi me aventurar e escolhi um restaurante familiar ali perto.

Olha esse varal no meio do Restaurante haahaha
Infelizmente, não lembro o nome dele. Mas adianto que, como escolhi pelo preço baratinho, a comida não foi láá essas coisas. Mas o custo benefício foi bom, era um pratão de macarrão por uns 5€. O mais divertido foi o varal de roupas, que incluía até um soutien, no meio do restaurante! Não resisti a uma fotinha! hahaha


3º Dia - Vaticano e Galeria Borghese

Comprei o ingresso pro Vaticano com antecedência online e recomendo que façam o mesmo. Podem clicar aqui pra comprar. 

Agendei meu ingresso pra 9:30 para aproveitar bem o dia. Oura vantagem de comprar antes é furar a fila gigantesca pra entrar. 

Dicas: 
  • Façam o circuito longo pelo Vaticano, não vão correndo direto pra Capela Sistina. Vale a pena conferir o acervo histórico impagável dos diversos museus. 
  • Se estiver com muita fome, tem uma pizza lá na praça de alimentação que dá pra pagar, mas não é nada demais, mas li num blog sobre o 200°Duecento Gradi, o local que serve o melhor Panini de Roma! Infelizmente, li tarde demais e só pude comer no dia seguinte. Clique aqui pra saber tudo sobre esse Panini!
  • Vale a pena pagar mais um pouquinho e subir de elevador ao topo da Basílica de São Pedro, os degraus são muuito estreitos e apertadinhos. Eu, que sou tranquila, quase tive uma crise de claustrofobia ali, então o elevador vale a pena!

Esfera dentro de outra esfera e eu, como sempre, com meu audioguide 8D

Escada Helicoidal


Galeria dos Mapas e esse teto absurdo
Teto da Capela Sistina, de Michelangelo

Pietà de Michelangelo
Escadinha capciosa da Basílica de San Pietro

Vista do alto da Basílica de San Pietro - valeu a pena a crise de claustrofobia! A volta foi mais tranquila, ufa!
 Não tem muito o que dizer, gente, só sentir e se sentir dentro dos livros do Dan Brown descobrindo segredos secretíssimos sobre a vida de Jesus e a Igreja Católica. Aliás, tô louca pra ir a Firenzze viver O Inferno, de Dante hahaha.

Enfim, depois do Vaticano, decidi aproveitar o restinho do dia e ir à Galeria Borghese. Liguei durante a fila para passar pela segurança da Basílica de San Pietro e reservei um horário. Mas atenção:
FAÇA O QUE EU DIGO, NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO! Como eu fui na baixíssima temporada, no meio do inverno e era uma pessoa só, ainda tinha horário, mas meus pais estão lá agora e é impossível agendar pra mesma semana, então AGENDE ANTES!!!!!
O telefone é +39 06 32810 e pra acessar o site é só clicar aqui. 

Para chegar lá também é meio complicado, eu desci no metrô da Piazza di Spagna (a mesma do segundo dia!) e fui andando pela saída Villa Borghese. Não hesite em perguntar pra onde é a Galeria, porque pode ser um pouco confuso (até ajudei uma russa na volta, que não falava inglês e estava beeem perdida).
Mas, vale SUPER A PENA! É uma das galerias mais lindas e ricas de Roma.


Galeria Borghese





Pauline Bonaparte Borghese, que posou nua e causou o maior escândalo, pois somente as prostitutas o faziam na época, representada como Vênus Victrix (Vênus Vencedora) entre 1805 e 1808. O sobrenome é mesmo de quem você tá pensando! Ela era irmã de Napoleão Bonaparte.



Apolo e Dafne, de Bernini. Dafne implora a seu pai, Peneu, que a transforme em árvore, para que Apolo pare de persegui-la (mais um Deus/homi sem noção)


4º Dia - Fui à Roma e vi o Papa!

Desde que decidi que iria à Roma depois do meu curso, já sabia que queria ver o Papa Francisco pessoalmente de novo. Sim, eu já vi o Papa! Em 2013, quando ocorreu a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, ele ficou hospedado bem pertinho da minha casa e todos os dias passava de carro na minha porta. Claro que eu ia lá dar tchauzinho pra ele sempre e ele era uma simpatia! Eu não sou católica, mas simpatizei muito com esse Papa, por ele ser mais aberto e moderno que os demais, ele sabe que, se a Igreja não mudar, vai perder fieis, pois os tempos já são outros e surgiram novas demandas.

Enfim, decidi que queria ver o Papa e corri pra internet pra descobrir como fazer isso. Vou contar tudo agora! Existem dois jeitos de ver Sua Santidade: a Audiência Geral, em italiano, Udienza Generale, às quartas feiras ou no Angelus, aos domingos. 

A Udienza Generale acontece quarta feira às 10h, mas chegue antes, pois ele sempre passa no Papa Móvel mais cedo cumprimentando as pessoas, na Piazza San Pietro. Quando o tempo está chuvoso e no inverno, ela acontece Sala Delle Udienze de Paolo VI. Maas, pra entrar você precisa de um convite. Ele é totalmente gratuito, pra recebê-lo, é só mandar um Fax (isso mesmo, essa coisa ultrapassada que demorei horas pra encontrar na Alemanha hahah) pra Prefeitura da Casa Pontifícia. Todas as infos estão aqui. 

Você vai receber um email dizendo que seu pedido foi aceito e terá que retirar o ingresso a partir da terça-feira anterior à Audiência escolhida, das 15:00 até às 19:00 horas, ou então no próprio dia do evento, pela manhã, a partir das 7:30, no Portão de Bronze, com a Guarda Suíça. 

O ingresso é gratuito! Se alguém tentar te vender, é cilada, bino! E também é crime, eles repetem isso o tempo todo por lá. 

Se você leu isso tarde demais, tem uma solução! Chegue cedo e se posicione nas grades que cercam as cadeiras que eles posicionam na praça e aguarde até a passagem do Papa Móvel. Vai dar pra ver muito bem também!

Já o Angelus é uma bênção que o Papa dá aos domingos, lá do alto de uma janelinha. Basta chegar cedo e aguardar que ele apareça. Não cheguei a ir no Angelus, mas imagino que a Udienza Generale seja mais interessante, pois vão vários fieis do mundo inteiro, a audiência é traduzida para diversas línguas, incluindo o português e, de brinde, você pode acabar assistindo um show. Quando fui, teve uma apresentação circense bem legal!




Meu convite para a Udienza Generale

O Papa é um fofo e super simpático!



Recomendo muuuuito que você vá, caso esteja em Roma numa quarta feira, mesmo não sendo católica, foi muito interessante e a energia que esse Papa passa pra todos é muito boa.

Uma coisa que achei muito divertida, era o fan clube de meninas vindas de colégios católicos, principalmente espanhóis, que ficavam cantando e gritando o tempo todo e quase tiveram um treco quando o Papa passou por elas. Me senti num festival de rock hahahha O Papa realmente é Pop!

Além disso, o uniforme da Guarda Suíça é muuito engraçadinho também. Vocês sabem por que é a Guarda Suíça que protege o Vaticano? Foi o Papa Julio II em 1506 que decidiu trazer os soldados suíços para Roma, baseado no grande historiador latino Tácito que disse a célebre frase: “Os helvéticos são guerreiros, famosos pela bravura de seus soldados.” (Pra quem não sabe, o nome oficial da Suíça é Confederação Helvética, por isso os suíços são chamados de helvéticos. Viaje no Make também é cultura! hahaha).


As Papa tietes ali do lado todas patriotas. 

Guarda Suíço, vestido nessa roupa incrível, em momento de descontração

E assim termina minha breve porém intensa passagem por Roma e pela Itália. Quero voltar em breve pra conhecer Roma e Milão melhor, bem como a Itália inteira, que tem muuuuito a oferecer em termos de cultura, arte e gastronomia. Roma se tornou uma das minhas cidades favoritas e recomendo que vocês visitem essa cidade quando puderem! E, se já tiverem ido e tiverem mais dicas, deixem nos comentários!

Já já estou de volta pra contar mais sobre meu intercâmbio e as viagens que fiz graças a ele! Um beijão e até o próximo post! :*

Me despeço nesse avião da Vueling rumo à Amsterdam <3


0
 

No Instagram